Subversa

teus ombros altura do empire | astronauta de pulôver azul neón

Ilustração de @lilabitten [instagram]

não tem um dia
uma hora sequer
que teus olhos não
me percorram a memória

vidro sobre a foto
na ponta da escada
semblante & queda

que ano
que dois mil e oito desgraçado
as sacolas vazias
uma nesga de sol beijando o piso frio
teus ombros altura do empire
eu monumento tombado
as compras à espera dos armários

o menino de nariz sujo
junto tudo o que vejo
três cenouras na bolsa
esqueci-me das fraldas
as janelas fechadas
uma nesga de sol beijando os pés frios

calor
único toque não lembro
fechadura trancada
duas voltas
vou e volto: confirmo
duas voltas na chave

teus ombros altura do empire
sombra sobre o rosto
tinta óleo gravura expressionismo
não enxergo nada
apenas sombra & eco

silhueta de meia hora
que gesto
que corpo ocupa esse espaço?
a casa silêncio

uma nesga de sol beijando o piso frio
o vidro que quebra
recordação & culpa
minha culpa
minha máxima culpa


FABÍOLA WEYKAMP tem seu primeiro livro de poemas “Resenhas da solidão – um livro de poesia e dor cotidiana”, publicado pela Editora LiteraCidade, Belém/PA, 2015; obra ganhadora do Prêmio LiteraCidade Jovem, 2014. É colunista da Revista Subversa | FABIWEYKAMP@YAHOO.COM.BR

Ilustração: @lilabitten [instagram]

Sobre o Autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão sinalizados *

Entre em Contato

contato.subversa@gmail.com
Brasil: (+21) 98116 9177
Portugal: (+351) 91861 8367