Subversa

Um contrato pela justiça | Leonardo Camargo Ferreira


Sei que falaste do meu silêncio,
Mas não foi um silêncio com propósito:
Foi o mesmo não falar que tu mostraste
Quando o céu caía, o mar esmagava,
As pessoas fugiam e eu me redescobria.

Toda a pose de não teres dito nada era real,
Tu estavas por toda a parte sendo tu.
Mesmo nos dias de frio e de cartas rasgadas,
E de namoros suspensos, e de livros em fogo,
Foste todo teu enquanto o mundo pedia ajuda.

Não foi um silêncio com propósito, não,
Mas as casas estavam tristes porque
Acabou o pão e as famílias gritavam.

As linhas vermelhas estavam-te nos dedos,
O corpo de uns e de outros sem diferença.
Eu não falei, tu não falaste,
E se alguém falasse seria chato.

As palavras nunca foram pecado – eram
A sua raiz, tom, forma e sentido.


Leonardo Camargo Ferreira | Vila Nova de Gaia, Portugal | leonardo-camargo-ferreira@hotmail.com

 

 

Sobre o Autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão sinalizados *

Entre em Contato

contato.subversa@gmail.com
Brasil: (+21) 98116 9177
Portugal: (+351) 91861 8367