Subversa

Tudo o que sai, muda de forma | Cauê Monteiro (São Paulo, SP)


tudo o que sai, muda de forma

e o processo de materialização que as coisas passam para chegar ao exterior as condicionam, quase que geometricamente. Tudo sai menor, as coisas chegam fora com proporções menores. Mas as coisas são simplesmente diminuídas, colocada numa escala menor ou são quebradas e tem partes que ficam e partes que vão ? E se é quebrada, os farelos fragmentos continuam dentro de mim ou só desaparecem? Acho que ficam uns fragmentos em mim porque de certa forma o indizível incomoda, ele tem vida, ele se debate: “droga eu queria que a minha ideia saísse assim e não como ela realmente saiu”. Seria essa prova suficiente?

Exemplo: uma ideia; quando vou explicá-la para você, ela nunca sai exatamente do jeito que pensei, sempre sai numa versão mais raquítica. Para onde vão essas informações e descrições que já não compõe essa ideia que agora vive fora de mim? E é engraçado pensar que no exterior as coisas ocupam espaços menores, como se eu fosse maior que o mundo e isso também me faz pensar no quanto a matéria tem um potencial aprisionador. A ideia, o sentimento, a lembrança, as sensações ficam menores quando viram uma onda sonora ou um risco no papel. O indizível destaca.

A matéria também contamina. Depois que é uma pílula, vivendo no exterior, o outro pode alcançá-la e ingerir. Essa coisa que agora está dentro de novo, mas agora num interior diferente, se expande novamente e alcança uma nova forma que é ultra-imprevisível.

Fico pensando no inverso também. Quero dizer, sempre quando penso em algum objeto ou em um som, sempre é uma versão muito falha, quase que ridícula beirando ao vacilo. As cores nunca são vivas, na minha cabeça são só borrões cromáticos.

E essa movimentação começa com M de maravilhoso, pois faz com que sejamos todos escultores com estecas feita da nossa própria subjetividade. As falhas fendas buracos crateras das coisas que saem de dentro de mim são preenchidas por você com você em você.


CAUÊ MONTEIRO (São Paulo, 1998) | Estudante de produção audiovisual; aspirante a escritor. | caue_vinicius_2007@hotmail.com

Sobre o Autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão sinalizados *

Entre em Contato

contato.subversa@gmail.com
Brasil: (+21) 98116 9177
Portugal: (+351) 91861 8367