Subversa

Saudade tem cor de sol da tarde | Íris Ladislau


O violão na sua mão é da cor do poente
A montanha lá longe vibra olente
Você pensa na gente
Quando está
Perto das estrelas do mar?

Se como a montanha
Eu voejo para longe
Não chore
É só pássaro
Querendo flanar
Distante do ninho

Céu, cereja, vento e as veredas
Que atravessou me dando a mão
Têm cor de tempos áureos
Que nunca voltarão
O vento aurifulgindo
E você fugindo
Para as estrelas do mar
No rio que corre em janeiro

Se como o rio que segue
Minha face plange ao distar
Do poente violáceo
E do teu canto rosáceo
Não se preocupe
O pássaro precisa cair do ninho
E aprender a ruflar as asas

A minha saudade tem a cor do som do teu violão
Minha voz colore de nostalgia tempos que não voltarão.


Íris Ladislau | Belo Horizonte, Brasil | irisladislau.contato@gmail.com

Sobre o Autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão sinalizados *

Entre em Contato

contato.subversa@gmail.com
Brasil: (+21) 98116 9177
Portugal: (+351) 91861 8367