Subversa

O ano em que o Brasil perdeu a Copa | Paulo Vicente Cruz

 

Em 1986, ela morreu e o Brasil perdeu a Copa.  Antes do Brasil perder a Copa, mas depois que ela morreu, as crianças pintaram a rua de verde e amarelo. Também penduraram fitas com as cores da bandeira, em cordas amarradas aos postes.  Eu não pintei a rua nem amarrei fitas, porque eu não contribuí com a vaquinha e porque foi depois que ela morreu.

 

A ordem foi ela morta, crianças pintando a rua e o Brasil perdendo a Copa.  Aí veio o tempo em que da janela eu via a rua pintada e as fitas em cordas amarradas aos postes. Lembrava dela, das crianças e da Copa perdida.  Aprendi que a tinta no asfalto demora a sumir e as fitas de plástico são resistentes.

 

Um dia a pintura apagou. Já não havia mais fitas em cordas amarradas aos postes. Mas eu continuei a lembrar.


Paulo Vicente Cruz | Rio de Janeiro, Brasil | autor do livro “Enquanto os gigantes dançam” (Editora Quelônio – no prelo). Tem textos publicados nos Cadernos Negros – nº 40 e nas revistas digitais Gueto e Subversa. | pevecruz@gmail.com

 

Sobre o Autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão sinalizados *

Entre em Contato

contato.subversa@gmail.com
Brasil: (+21) 98116 9177
Portugal: (+351) 91861 8367