Subversa

Fim | Daniella Guimarães de Araújo


aquele verso de camões
caindo
caindo
como grosso da chuva
ou como grassa com dois esses
(óleo que não se desprega da mão )

podia imaginar a palavra grassa
gordurosa
grassando as beiras de tudo que em você
era mim
tu/nós
os coletivos
viscosidade e mescla, tudo era

e

eu chorando
como águas da chuva
em telhados rubros:

“cesse tudo que a musa antiga canta”.


DANIELLA GUIMARÃES DE ARAÚJO | Sete Lagoas, Brasil | daniellaaraujo@yahoo.com.br

 

Sobre o Autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão sinalizados *

Entre em Contato

contato.subversa@gmail.com
Brasil: (+21) 98116 9177
Portugal: (+351) 91861 8367