Subversa

Desparir | Marcio Sales Saraiva


Édipo já não suportava mais viver. As dificuldades comuns à vida conjugal, a relação sempre tensa com seus dois filhos adolescentes, as exigências de um trabalho sempre prestes a evaporar-se e transformá-lo em mais um na estatística medonha de milhões de desempregados, as contas por pagar, a esposa que nem de longe lembrava aquele abrigo de amor e serenidade que era sua mãe. Preferível era morrer a continuar a viver nesse mal-estar de civilização.

Em desespero, brigou com os colegas de trabalho por bobagens e abandonou tudo. Chega! Pegou o ônibus e foi direto para a casa de sua mãe. Disse tudo! Chorou, pediu ajuda e ajoelhou-se aos seus pés descalços, agarrando-se ao seu vestido negro. Ela, solitária, entendeu. Afagou-lhe a cabeça com cabelos úmidos, tamanha era a sua aflição. Levantou-o e ofereceu-lhe o seio esquerdo. Ele aproximou-se, fechou os olhos, beijou-lhe a boca com ternura para depois abocanhar com carinho seu objeto, sugando-lhe por minutos o líquido do amor.

Ela o convidou para o quarto. Caminharam de mãos dadas. Retirou o vestido e seu corpo nu ficou visível para ele.

— O que a senhora vai fazer?

Nada disse. Deitou-se na cama, abriu as pernas e chamou-lhe.

— Édipo, meu amado. Venha, deite-se e sugue minhas entranhas.

Ele chorava. Misto de luto diante do mundo, prazer e felicidade. Posicionou-se entre as pernas de Jocasta, cheirou sua origem, passou a língua para sentir o gosto da vida e, com a ajuda dela, entrou inteiro. Todo o seu corpo foi absorvido e novamente no útero encontrou o estado perfeito, a morte, o silêncio sem angústia. Ela estava grávida outra vez. A barriga enorme era habitada por um menino que não queria mais nascer.

Acordou cedo e assustado. Sentiu-se imundo, culpado e doente. Um suor gelado invadira seu corpo e uma ereção involuntária. Era o dia do seu analista e, ao olhar para o relógio, percebeu que passara da hora.


MARCIO SALES SARAIVA | Rio de Janeiro, Brasil | saraivamsales@gmail.com

Sobre o Autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão sinalizados *

Entre em Contato

contato.subversa@gmail.com
Brasil: (+21) 98116 9177
Portugal: (+351) 91861 8367