Subversa
  • TRIGO | Fabíola Weykamp

    compreender a morte de um pai é resgatar, dentre outras tantas perdas, a mais delicada e demorada de todas: a própria identidade FABÍOLA WEYKAMP tem seu primeiro livro de poemas “Resenhas da solidão – um livro de poesia e dor cotidiana”, publicado pela Editora LiteraCidade, Belém/PA, 2015; obra ganhadora do Prêmio LiteraCidade Jovem, 2014. É colunista…

    Continuar Lendo…
  • PARA ORBITAR OS DIAS | FABÍOLA WEYKAMP

    equipar-se como um astronauta para ficar em órbita sentir os raios amenos do sol de outono encostar na roupa e, pouco a pouco, como uma nesga de fé sentir aquecer entre corpo estremecido e indumentária operante – dá-se por concluída parte da missão, Houston desequipar-se de astronauta agora, banhar-se como os peixes comer e dormir…

    Continuar Lendo…
  • Flores renascerão | Fabíola Weykamp

    Não sairemos ilesos tampouco felizes, mas seguiremos.   Sairemos às ruas, rumo a outros campos, cujas flores raras quase extintas: renascerão. FABÍOLA WEYKAMP tem seu primeiro livro de poemas “Resenhas da solidão – um livro de poesia e dor cotidiana”, publicado pela Editora LiteraCidade, Belém/PA, 2015; obra ganhadora do Prêmio LiteraCidade Jovem, 2014. É colunista da…

    Continuar Lendo…
  • Quarentena: a hora de cinquenta minutos no divã do quarto

    O temor em ficar só e o desejo de estar só levam-me a reconsiderar às noites pelos dias: a que devo chamar tal processo? Esquivo-me do presente com as duas mãos como se estivesse, de fato como desejo, eliminando o passado necessário na medida exata sem perder a si sem perder a dor prevalente em…

    Continuar Lendo…
  • Mantenha-se | Fabíola Waykamp

    Partir para o futuro E não voltar para contar Estar sempre no futuro do presente – Escaparás porque cansa. Conviver comigo requer estar adiante De preferência fora da órbita Adiante e longe Porque habito em um lobo E ao testemunhar a menor presença: avanço, Ataco Porque se está cansado Cansado e feroz. Esta é uma…

    Continuar Lendo…
  • Rente ao chão | Fabíola Weykamp

    Deito a cabeça sobre o tronco do teu corpo e como raízes que se embrenham na terra e escavam fundo às vontades doo toda minha seiva em troca de um pouco da tua vida para que viva eu permaneça FABÍOLA WEYKAMP tem seu primeiro livro de poemas “Resenhas da solidão – um livro de poesia…

    Continuar Lendo…
  • Porque pertenço | Fabíola Weykamp

    quando corri já não sentia medo corri porque queria tenho a vontade nas pernas pertenço ao vento como pertenço à liberdade corro sumo e reapareço como os pássaros da meia-noite driblando nuvens ao largo do dia existindo no tempo da memória no tempo de sempre FABÍOLA WEYKAMP tem seu primeiro livro de poemas “Resenhas da…

    Continuar Lendo…
  • Nada falo aos peixes | Fabíola Weykamp

    não falo da saudade para os peixes os peixes não se importam com o passado não absorvem a melancolia das ostras nem a melancolia do homem com os pés pálidos os dedos murchos com unhas compridas na beira da praia nada falo aos peixes eles definitivamente não têm tempo para isso estão ocupados de mais…

    Continuar Lendo…